Existem casos em que os espermatozóides não conseguem penetrar no óvulo e conseqüentemente a fertilização não ocorre. Isto pode acontecer por deficiência dos espermatozóides, por características do óvulo ou sem uma explicação conhecida. Estes casos se resolvem através de ICSI (Intra Citoplasmatic Sperm Injection), ou seja, injeção com uma micro-pipeta de um único espermatozóide no interior do óvulo. Aproximadamente 75% dos óvulos transformam-se em embriões que são transferidos para o útero. Mesmo homens com ausência total de espermatozóides no espermograma podem apresentá-los no testículo e poderão ser retirados por punção ou biópsia, injetados no óvulo, obtendo gestações na maioria dos casos. Este tratamento está indicado também para homens vasectomizados.

A Super ICSI é uma inovação em que os espermatozóides, antes de serem injetados nos óvulos, são escolhidos em um microscópio especial que permite aumento de 6000X. A utilização de um espermatozóide de melhor qualidade gerará um embrião com melhores condições de resultar em um bebê saudável, melhorando os índices de sucesso principalmente quando o espermograma é anormal.