Geralmente após os 45 anos de idade, a mulher perde a capacidade de produzir óvulos com qualidade suficiente para gerar o bebê.

Algumas mulheres acometidas por endometriose, cistos ovarianos, infecções, submetidas a cirurgias ovarianas ou mesmo aquelas que necessitaram de tratamentos oncológicos podem ter seu estoque de óvulos esgotados precocemente. A menopausa precoce não é rara, e pode acontecer em qualquer idade.

Para as mulheres que não apresentam óvulos em seus ovários, o único tratamento disponível no momento é a doação de óvulos. As doadoras de óvulos são mulheres também tentando engravidar que apresentam grande número de óvulos e se dispõem a doar para outras mulheres. Também existe a possibilidade de doação voluntária, mas em ambas as opções as doadoras não devem conhecer as receptoras e vice-versa.

Doadoras devem ter menos que 35 anos, boa saúde, apresentar tipo sanguíneo e características semelhantes à receptora. Os ciclos menstruais da doadora e da receptora devem coincidir (facilmente realizado com medicações). Como citado anteriormente, a receptora não pode saber sobre a origem e a doadora sobre o destino dos óvulos.

Realiza-se Fertilização In Vitro utilizando os óvulos da doadora e espermatozoides do marido da receptora, enquanto a receptora toma medicamentos que preparam seu útero para receber o embrião originado deste procedimento. A transferência é realizada na receptora e bebê é gerado no seu útero, com carga genética do marido e da doadora.

Procedimentos utilizando óvulos ou espermatozóides doados são bastante frequentes nos dias atuais e trazem satisfação plena aos casais.

As pesquisas para se produzir óvulos através de outras células do organismo feminino, como por exemplo, as células-tronco estão evoluindo e pode ser que brevemente a ausência de óvulos seja uma barreira vencida na luta contra a esterilidade.

Pregnant woman with little gift box