Os convênios de assistência médica insistem em não fornecer aos seus associados os tratamentos de infertilidade como se isto não se constituísse em problemas de saúde. Como se a deficiência da capacidade reprodutiva não tivesse nada a ver com a saúde de seus portadores. Como se os tratamentos de infertilidade não tivessem nada a ver com assistência médica ou fosse algo supérfluo e desnecessário.

Enviamos correspondência às principais empresas de convênios médicos oferecendo a FIV a preços justos reduzidos. Algumas responderam que não tinham obrigação em fornecer estes tratamentos, outras nem responderam.

Eles pagam consultas e alguns exames, porém, não cobrem tratamentos mais importantes e de maiores custos, como a inseminação e a FIV.

Alguns casais escolhem médicos só porque atendem seus convênios apenas para economizar o valor da consulta e geralmente acabam gastando somas exageradas e desnecessárias nos tratamentos que o convênio não cobre.