São muitas as evidências do envolvimento do fator emocional na origem da infertilidade. O exemplo mais clássico é o de casais que não engravidam após exaustivos tratamentos, desistem, adotam uma criança e logo são contemplados com uma gestação espontânea.

Entretanto em apenas 5% dos casais inférteis a causa é realmente de fundo psicológico e geralmente acontece em mulheres com personalidade frágil, isto é, pacientes que não se julgam em condições de suportar uma gestação ou criar um bebê.

Por outro lado, a maioria dos casais que são rotulados como inférteis tem dificuldade em assumir esta deficiência sem desenvolver vários conflitos como raiva, frustração, insegurança, agressividade e perda da autoestima além da diminuição do sentimento de feminilidade ou masculinidade com possível deteriorização do relacionamento marido-mulher. Alguns casais geram alto grau de estresse, o que pode resultar em bloqueio da fertilidade.

Felizmente estes fenômenos são transitórios e desaparecem na medida em que o médico faz uma avaliação clara do problema do casal e, respeitando a fragilidade e a elevada sensibilidade principalmente das mulheres, estabelece um plano de tratamento objetivo e eficaz criando um vínculo de confiança entre o casal e o médico, elo este fundamental para o sucesso do tratamento.

Causas da Infertilidade